O guarda-chuva de mentira

17:15 Kamila Siqueira 0 Comments

22/09/2016 




  É difícil acreditar. Quando digo a algumas pessoas, nem todas acreditam. Mas, eu juro, entre todas as suas mentiras e histórias mirabolantes, existiram algumas verdades incontestáveis.
 
  É verdade, por exemplo, aquilo que você disse em nosso primeiro encontro sobre eu ser muito mais bonita pessoalmente do que pelas fotos do instagram. Eu nunca precisei de filtros para ser bonita mesmo. E todas aquelas palavras de admiração que você disse naquela noite, tropeçando nas palavras, entre gaguejos e nervosismo, foram verdades. Foi verdade também o que falou naquela outra noite, quando deitamos na grama e observamos morcegos passeando pelo céu. Você se lembra de dizer que eu era uma companhia tão gostosa que dava vontade de me levar para um lugar distante, com chocolate quente e um cobertor, só para observar as estrelas? Era conversa de conquistador barato, mas eu sou mesmo uma companhia esplêndida, meu bem. Quando me disse que nem acreditava direito que eu estava te dando uma chance, eu ri sem pensar no quanto você estava certo. Você foi um cara de sorte mesmo.
  
  Quando te contei todas as histórias por trás da minha tatuagem e você disse que sou forte, você estava falando a verdade. Sou uma mulher forte pra caramba. E todas as vezes em que me disse que meus olhos eram diferentes, que era legal observar o tom incerto entre o castanho e o esverdeado, você estava certo. Meus olhos são fascinantes. E meu corpo, que seu corpo desejava de um jeito tão lascivo, também é perfeito. "Um poço de luxúria", como você dizia. Sabe aquele batom escuro que comprei e você disse que fiquei muito sexy com ele? Tenho usado-o muito ultimamente. E fico sexy mesmo.
  
  A inteligência que você admirava, ela cresce a cada dia dentro de mim. Lembra como sempre dizia que minha independência era admirável? Por eu ter dois empregos, por nunca querer depender de ninguém, por correr atrás de tudo o que preciso. A minha maturidade para relacionamentos que você achava incomum, meu respeito pelo espaço individual, minha busca por ter meu próprio espaço e saber equilibrar isso com uma relação saudável, a cada dia eu desenvolvo tudo isso mais um pouco. E sou cada vez mais inteira, mais completa. Por mim mesma.
  
  O meu talento com as palavras, meu talento com o trabalho, coisas que você reconhecia no dia a dia. Te ajudei a melhorar um pouquinho seu português. Te ensinaria também aquelas outras coisas que queria melhorar um pouco, caso tivéssemos mais tempo. Não foi o caso.
  
  Lembra daquele dia em que me disse o quanto eu era maravilhosa por ter montado seu currículo, te apoiado na busca por um emprego e ainda me oferecido para ajudar a organizar sua vida financeira no futuro? Você estava certo, eu sou maravilhosa mesmo. E sempre que me agradecia pela dedicação e pelo carinho, meu bem, você tinha toda a razão. Tinha muito pelo que agradecer.
  
  Lembra daquela vez em que sumiu durante um dia inteiro e me procurou à noite, angustiado com algo que havia acontecido? Obviamente, eu nunca soube o que de fato aconteceu, mas nunca vou me esquecer do teu suspiro aliviado ao dizer "Nossa, falar com você é meu melhor remédio". Eu podia te trazer paz, meu amor. Estava sempre disposta a carregar teu coração com minhas próprias mãos para que ele não doesse dentro do teu peito. Meu colo podia ser seu sempre que quisesse. Eu sei dar paz. Sei dar amor. Eu sei proporcionar um milhão de coisas que você não me deixou demonstrar. Eu tenho um amor gigantesco dentro de mim, que estava prontinho para te envolver e te afagar. Eu era sua, meu bem. Eu era toda sua.
  
  Não sei se você tem a consciência de que todas essas coisas que me disse eram verdades. Não sei se enxergou isso um dia. Não sei se viu todas as constelações de estrelas brilhantes dentro de mim, se sabe como sou uma pessoa incrível. Mas cheguei à conclusão que pouco importa o que você sabe. O mais importante, meu amor, é que EU sei de tudo o que sou.
  


0 Comentários: